Registradores brasileiros – pesquisa

No Boletim Eletrônico n. 1288, de  10/09/2004, publicamos o resultado de um trabalho de pesquisa junto aos cartórios de registro de imóveis de todo o Brasil.

Reproduzo aqui parte do trabalho. Os gráficos se perderam nas mudanças atabalhoadas feitas na remodelagem do site original.

Irib por dentro & por fora – Pesquisa mostra a opinião dos associados – Conheça o perfil dos registradores e avaliação da gestão outras palavras

O estudo que abaixo se vê foi encomendado a empresa de pesquisa de opinião e visa compreender melhor o perfil do registrador imobiliário e do profissional da área, formando o arco de associados do Irib. Não nos esqueçamos que atualmente fazem parte do Irib (sem direito a voto e a ser votado e sem possibilidade de interferência nos destinos políticos da entidade) notários, registradores de TD&PJ, além de advogados, juízes e promotores.

O foco da pesquisa centrou-se na avaliação do estágio de desenvolvimento tecnológico dos cartórios, com vistas a dar início a um ambicioso projeto de integração dos registros – condição indispensável de sobrevivência num mercado globalizado.

Além disso, avaliamos os produtos criados e oferecidos pelo Irib – suas publicações, serviços, além de avaliação geral da gestão, cujo fim se aproxima.

As respostas foram atentamente analisadas e estudas – especialmente as críticas, que foram recebidas com muito respeito e fundamentam as novas iniciativas do Instituto, como interiorizar-se, levando a informação registral a regiões de dificil acesso.

Agradeço a todos os que responderam pacientemente às questões formuladas pela equipe de entrevistadoras. Sem os entrevistados não teríamos esse quadro alentador diante de nós!

Mas gostaria de dirigir uma palavra de agradecimento especial aos meus colegas registradores imobiliários. Por eles e para eles a vocação de outras palavras. Mote de minha campanha em 2001, a gestão que agora finda nasceu sob o signo da renovação e da transformação. Desde sempre compreendi o sentido da árdua missão que tinha pela frente: preparar o caminho do que vem, abusando da metáfora joanina que muitos já me ouviram proferir. Preparar o caminho significava abrir novas frentes, experimentar novas sendas, entabular relacionamentos imponderáveis, estabelecer diálogos cruzados, trazendo, contudo, sempre, a força e a esperança da melhor tradição do registro.

A nouvelle vague do registro se fez e é muito mais do que mera renovação pessoal: é renovação dos costumes políticos do Irib! Nova et vetera, verso e reverso incontroverso da mesma moeda.

Sérgio Jacomino,
Presidente Continuar lendo