A mulher chorou no balcão

Meu Deus! Que maldade o sistema legal pode ter feito com essa Senhora que chora profundo no Balcão, chega de notas devolutivas e exigências legais, queremos direito de propriedade, propriedade humana, afinal, este Oficial é de Registros, segurança, justiça, duas faces da mesma moeda, moeda esquizofrênica, entra em tensão consigo mesma, não é possível, como poderemos ajudá-la, será que perdeu algum ente querido, será que a exigência é intransponível, absurda, acho que vou até o balcão, acho melhor não, sistemas, sistemas, sistemas, sistemáticos, liberta-nos ou escraviza-nos.

Depois a escrevente esclareceu ao Oficial que a Senhora não retirou uma Nota Devolutiva, retirou sua escritura registrada e chorava por pura emoção, simples que era, chorava e se desculpava por não conter a alegria de ver seu nome bem grafado na matrícula e a confirmação da atendente: era, pela primeira vez na vida, proprietária da casa!